terça-feira, 7 de junho de 2011

Não existe liberdade

No dia 01 de junho de 2011 pude vivenciar a ditadura que existe em nosso país, chamado Brasil.

Escrevo a todos, aos que acreditam que somos livres, aos que sabem que nossas escolhas são limitadas e aos que vivenciaram atos de invasão, tendo seus direitos de liberdade amordaçados.

Para quem não conhece minha história, vou descrever rapidamente.
Tenho três filhos: Dhayaram (7anos), Suraj (5 anos) e Sundari (1 ano).

Sou adepta da educação em casa e sou veemente contra a vacinação.
Por esses dois motivos fui denunciada ao conselho tutelar, pela quarta vez.

Das outras vezes os conselheiros constataram que não cabia a denúncia por negligência, por motivos óbvios: meus filhos são bem cuidados, tem acesso a alimentação de qualidade, lazer, educação, saúde (acompanhamento médico homeopata e, quando necessário, alopata ).

Nesse meio tempo, matriculei meu filho mais velho na escola, onde continua a estudar.
Agradeço à Existência por colocar em seu caminho uma professora sensível às diversas formas de educar.

Por insistência do advogado da parte que denunciou, o conselheiro levou a diante o caso, passando a vez para a Vara da infância e juventude de Belo Horizonte/MG.
A promotora, por sua vez, passou para a Juíza, que determinou que meus filhos fossem vacinados, se baseando na Lei n° 6.259, de 30 de outubro de 1975, e a portaria n° 3318 , de 28 de outubro de 2010, artigo 4°:

"As vacinas e períodos constantes no Calendário Básico de Vacinação, o Calendário do Adolescente e o Calendário do Adulto e do Idoso são de caráter obrigatório com finalidade de assegurar a proteção da saúde pública."

Nessa data bate à minha porta dois oficiais de justiça acompanhados por dois policiais civis.
Em mãos, apresentam um mandato judicial, onde consta que devemos ser encaminhados ao posto de saúde mais próximo para que as crianças sejam vacinas, sob ameaça de ter nossos filhos levados a um abrigo. E disse isso na frente dos meus filhos, sem nenhuma preocupação com o bem estar deles!

A princípio não aceitamos ir ao posto de saúde. Propus então que se eles tivessem um relatório da médica que acompanha meus filhos, dizendo que estão bem (atestado que já havia dado à promotoria), eles nos liberariam. Concordaram, desde que as crianças nos acompanhassem.

Fomos ao posto na kombi da Vara da infância e juventude, não podíamos ir em nosso carro.

Chegando lá, procurei a gerente do posto, Angela, que já tinha o conhecimento do meu caso, pois fui ao posto por diversas vezes, atrás de atestados médicos, exames, etc, já que a "justiça" não aceitaria laudo médico particular.

O ponto positivo é que a pediatra do posto é também homeopata. Foi muito tranquila quando coloquei a opção da não-vacinação.

Angela, de imediato, disse ao oficial de justiça que ninguém seria vacinado contra a vontade, que no posto existe a orientação a dar as vacinas, mas obrigatoriedade não!

Ela foi firme e o oficial de justiça chegou a dizer que ela estava do nosso lado. Muito consciente de suas palavras, ela colocou que não estava do lado de ninguém, mas que reconhecia a liberdade de cada um.

Houve muita discursão entre um dos oficiais de justiça, que inclusive disse que TODAS as vacinas deveriam ser dadas, uma atrás da outra.

Insanidade é a palavra que descreve esse sujeito.

Ele chamou uma viatura da policial, pois o tempo estava passando e eu e meu marido dissemos que só aceitaríamos vacinar se estivesse escrito na lei, com todas as palavras.

Angela, depois de muitos telefonemas, na tentativa de impedir essa agressão (essa palavra ela usou para se referir às vacinas, que são um método agressivo ao corpo), recebeu a informação de seu superior que a vacinação é obrigatória, junto a um documento via e-mail, onde consta exatamente na lei (citada no início desse texto).

Foi decepcionante para todos!

Após longas horas entre casa e posto de saúde, fomos engolidos pelo sistema que não diz explicitamente à população sobre essa obrigação.

Sua persuasão vem através do medo que impõe, divulgando nos meios de comunicação.

Como a população reagiria se soubesse que em caso de denúncia, seria obrigado a vacinar contra a Influenza A ou a gripe, sendo que essa segunda vacina foi pouco aceita pela população?
Em Minas não chegaram nem perto da meta estipulada pelo governo!

Quando não tínhamos mais escolha, fizemos um acordo, já que não se pode tomar todas de uma só vez e ainda deve-se olhar a idade da criança, sendo que algumas vacinas, como BCG e febre amarela, independe de idade. Fizemos a tabela das vacinas a serem tomadas, optamos por dar aos nossos filhos a Hexavalente, vacina acelular que "protege" contra seis doenças de uma só vez (ao invés de dar várias vacinas). Essa consta somente em rede particular. Fizemos o gasto inesperado de mais de 500,00 reais.

A cada 15 dias teremos que prestar contas ao posto, tendo em mãos o cartão de vacinação em dia.

Ontem levei meu filho mais velho, Dhayaram, à psicóloga, para avaliar um suposto TDAH. De acordo com ela, ele não apresenta características, só é um menino muito curioso e interessado!
Ela perguntou a ele como se sentia com relação ao ocorrido.

Ele foi direto:"_Eu fui forte para proteger minha mãe, minha família. Eu não quero ir para outro lugar, quero ficar com eles."

Em momento algum ele chorou. Quando tomou as duas injeções, uma em cada braço, tinha um ar orgulhoso, sentado no colo do pai. E disse a todos que era forte e que aquilo não havia doído.

Senti orgulho do meu pequeno e sei que esse fato serviu para nos unir ainda mais!

Exponho esse acontecimento para alertar à todos que não vacinam seus filhos e a si próprios.

Você e/ou seus filho (s) será obrigado a receber a vacina caso seja denunciado.

É importante lembrar que consta no calendário a vacina contra rubéola para grávidas e existe um projeto para colocar a da gripe também!

Meu conselho é a não exposição.

Não diga a ninguém que você optou pela não vacinação, nem mesmo para as pessoas mais próximas.

Eu fui denunciada por uma pessoa muito próxima, que soube da minha opção através de uma outra, que eu julgava ser de confiança!

Portanto desconfiem sempre! A integridade de nossos filhos e a nossa própria integridade depende do resguardo.

Senti-me impotente e desprotegida e espero que ninguém mais passe por isso.

Divulguem, repassem. A liberdade depende da consciência!

O medo é guiado pela ignorância, o amor pelo conhecimento.

Paz a todos,

Ariany (Dhanna).

14 comentários:

Green Womyn disse...

Você é uma mulher muito forte para passar por tudo o que tem passado.

Dhanna disse...

Grata pela força que vem de todos que de uma forma ou de outra nos apoiam, nos respeitam!

Para deixar registrado, ontem surgiu no Suraj várias bolinhas, parecidas com acne, pelo corpo. Ele se queixa de coceira leve.

Reação alérgica às malditas!

Vera Falcão disse...

Ariany, vc já conhece minha postura a respeito disso tudo - essa função toda cheira a Inquisição e a Ditadura. Penso que deveríamos criar um movimento, não contra vacinação mas a favor de termos liberdade para criarmos nossos filhos da forma que acharmos melhor! Afinal, se somos capazes de votar, escolher nossa religião, abrir uma conta bancária etc e etc, porque a lei nos nega esse direito?
Quem não quer vacinar tem algum desequilíbrio mental? Se é são mentalmente, porque não pode tomar decisões sobre sua família? Atualmente, os hospitais e médicos deixam as mães escolherem entre o parto natural e a cesárea (claro, essa escolha envolve dinheiro que irá para o bolso deles). Depois dessa escolha, a mãe perde a razão e não pode mais decidir o que é melhor para a criança?
Um advogado que abraçasse essa causa - a liberdade de criar os filhos segundo nossas escolhas - seria a maneira de começar uma luta - não criticando as vacinas, que sempre serão defendidas pela classe médica tradicional - mas defendendo nossa razão, nossa maturidade e nossos direitos como cidadãos.

Beijos e força a todos aí!

Rapha da Alice disse...

Nossa, fiquei inconformada! Força, viu querida!
O que mais me incomoda é que seu filho tem reação a alergia ou desenvolve a doença que visa proteger, vc não pode processar o Estado. Mas pode ser forçado a vacinar... Problemático demais!

Amina disse...

Oi Ariany Fiquei sentida com seu texto. Enquanto lia, pensava : "e nossos direitos ?" Vc não está maltratando nem abandonando incapaz. Acredito que um bom advogado ajudaria a resolver essa questão. Infelizmente ,não podemos confiar em ninguem. Acho um abuso tudo o que vc passou. Pior é essa "pretensa' amiga que te denuncia. Isso é uma covardia. Provavelmente essa criatura deve se sentir muito incomodada com sua felicidade. E isso, infelizmente, não tem remedio ! COntinue com suas crenças e sendo feliz. Aproveito e recomendo: diga "aos mais chegados" que vc se equivocou e que vai voltar a vacinar e tudo o mais. Bj e que a Deusa lhe abençoe

Kytanna disse...

Ariany, realmente tudo foi um desrespeito a sua liberdade, familiar e de cidadã; não acho certo forçar ninguém a fazer nada, mas gostaria de entender sua visão, pq vc não quer vacinar seus filhos? Me explica...

Dhanna disse...

Verinha! Conheço seu ponto de vista e acredito que só será possível a mudança quando as pessoas se mobilizarem para tal. Eu acredito na mudança, mas é preciso acreditar nas pessoas, para que a mudança aconteça. Cabe aqui o problema da informação, a mídia é covarde, apoia o governo. Sim, vivemos numa democracia mascarada.

Rapha, meus filhos estão bem, apesar de terem surgido algumas bolinhas. Ainda terei que dar mais outras vacinas! Enquanto isso cuido com carinho do sistema imunológico, bem estar físico e emocional. E não poderei processar o Estado e espero não ter motivos para ter que recorrer.

Amina, advogado nãor esolve no meu caso, pq a Lei predomina. O que podemos fazer é mudar a Lei e para isso, seria necessário que algum deputado lutasse contra a maré. A maioria é corrompida pelo dinheiro e a indústria das vacinas é movida por ele! E tb não adianta dizer que vacinei sem vacinar; a cada quinze dias tenho que prestar contas no posto de saúde, para repassarem à vara da infância e juventude.

Ky, te recomendo a comunidade da Vera, no orkut, o lado escuro das vacinas, te expliquei um pouquinho no face.

Muito grata a todos, aos que comentaram, aos que falaram comigo em off e a todos que não se manifestaram mas se sentiram indignados.

Mudança em cada pequeno ato, nisso eu acredito.

Adriana ,Sofya e Emanuelle disse...

eu chorei.... chorei lendo e imaginando o q vc passou.

só depois de mto sofrer é que aprendemos a ficar caladas....

Infelizmente...

Visitante Estelar disse...

Olá, parabéns pelo seu Post e relato, infelizmente estamos presenciando e vivenciando uma era de mentiras e de dogmas falhos, um retorno da obrigação semelhante o que ocorreu em um passado distante, não podemos esquecer que em uma época antiga, não existia estas doenças nem certas obrigações, o ser humano era muito mais saudável e sensível as percepções invisíveis dos astros e natureza, bem como os animais, infelizmente boa parte da população, está sendo condicionada e guiada, controlada e adoentada pelo sistema falho atual. Sou totalmente a favor da cura através da mente, da recombinação e mudança de DNA por si mesmo, com seu próprio poder interior. Não existem doenças na verdade, o que existe é o medo isso sim existe, a mais de 13 anos que não pego uma gripe ou qualquer coisa do tipo, não me vacino, nem me deixo vacinar, minha mãe também nunca tomou uma vacina sequer, e tem uma saúde perfeita, nunca vai ao médico pois não necessita. e é exatamente isso que o sistema não quer que aconteça, querem nos prender e nos controlar a qualquer custo, pois um cidadão liberto para pensar e aprender a se desenvolver, é uma ameaça ao sistema principalmente financeiro, particularmente prefiro por mil vidas ser livre do que controlado, prefiro batalhar com todas as forças pela minha liberdade, do que ajoelhar-me para um sistema como este atual. e quanto a escola e ensino em casa, sou a favor também, visto que nas escolas hoje em dia, as crianças apenas crescem prontas para se tornar maquinas de trabalho e geração de renda. lamentável. mais uma vez parabéns pelo post. um grande abraço e tudo de bom.

Dhanna disse...

Visitante Estelar, faço minhas as suas palavras.

Muito grata.

Rebeca disse...

Meu abraço, querida... Orgulhosa da sua familia, que a paz retorne.

Livia Luzete disse...

Eu estou pasma!!! Eu fico imaginando o que vc passou, se um dia imporem a vacinação da Influenza ou a da gripe comum. Aqui em casa meu filho do 20 anos (que ja tem consciência) e eu e minha filha de 12 não tomamos essas duas. E estamos muito bem obrigadíssima!
Sim,o melhor é calar. E a cada tempo tenho a certeza que deveríamos somente conviver com os que pensam como nós!
Isso foi uma situação de inquisição às avessas!!!
Estou divulgando seu texto no meu FB.
Beijo.

O Mundo é de Todos! disse...

Nossa Dhanna eu não sei porque mas tenho quase certeza que vc foi denunciada pela fé em bruxaria. É sempre assim, coincidência ou não, os ciganos, os bruxos, os sem-religião são discriminados pela sociedade religiosa.
Os poderosos utilizam de artimanhas para que sejam feitas as suas vontades, e se não existe uma vantagem em si geralmente é causa religiosa. Eu procurei saber!

Mas e o artigo dos direitos humanos onde fala sobre integridade corporal?
E os pequenos que sofrem, que choram, e muitas vezes até adoecem de verdade com a vacina? Quem se responsabilizará?

E se seus filhos tomam a primeira vacina e morrem?

Por deus do céu... deve existir uma maneira de persuadi-los.

Será que não é a falta de conhecimento ou argumento que nos leva a sermos enfrentados pelo sistema?

E vc chegou a ter acesso a este material ->Vacinação - A verdade oculta
garantindogeracoes.blogspot.com/2010/03/vacinacao-verdade-oculta.html

Vacinação - Sim ou não?
garantindogeracoes.blogspot.com/2011/05/vacinacao-sim-ou-nao.html
antes de realmente ser levada à derrota?

Fico triste com essas coisas. Muito triste!

ilumina terra disse...

Estou chocada com o que ocorreu com vc...Espero q sua família não passe mais por essas coisas! Boa Sorte!