terça-feira, 26 de abril de 2011

Diagrama menstrual

Estava na cozinha, preparando fermento natural quando me veio o pensamento sobre o diagrama menstrual e sua importância.

Não sou a favor de anticoncepcionais. Tendo conhecimento dos meus ciclos (e suas variações), observando, anotando, aprendi que é possível engravidar (ou não) quando quiser.
Não vejo o anticoncepcional como a revolução na vida da mulher. É possível ter domínio sobre o próprio corpo através da auto-observação e o diagrama é uma ferramenta importante nesse processo.

Desde que minha bebê nasceu fiz o diagrama durante três meses e parei, mas não aconselho isso a nenhuma mulher!

Reconheço meus ciclos fisicamente, mesmo assim voltei a fazer o diagrama, pois ele é um documento que pode ser visto e revisto quando precisar.

Outro dia uma mulher me disse que seu marido a culpava por ter engravidado do segundo filho.
Achei um absurdo, já que hoje sabemos que a "semente" provém do homem e não da mulher.

Ela disse que estava decidida a fazer o diagrama.

Para fazer o seu diagrama, nessa página do site da Miranda Gray tem os modelos, além de muitas informações sobre os ciclos e sexualidade feminina. Eu não gosto muito, pois eles giram no sentido anti-horário, então eu fiz um em sentido horário (depois posto a imagem para quem se interessar).

Sem dúvida essa é a melhor opção para quem gosta de métodos naturais, mas é preciso que o marido reconheça esse método e o leve a sério. É fácil o homem ter relação com sua esposa e depois dizer que "foi ela quem provocou" ou "engravidou porque quis"...

Isso me soa machismo ao extremo!

Sinceramente, se ela fosse uma amiga mais próxima teria dito para largar o marido, mas o que eu poderia dizer? Apenas aconselhar e orientar, de acordo com minha experiência e não meter minha colher entre marido e mulher.

Além do diagrama existe uma coisa que toda mulher deveria usar: ducha vaginal.

De acordo com o professor Hermógenes, utilizando uma solução de água e vinagre é possível evitar a gravidez. Eu disse POSSÍVEL. Então é sempre bom ter cautela.

Outra utilização, que super aconselho, é para infecções vaginais.

O vinagre é um poderoso anti-bactericida!

Lembrando da importância do médico em casos como esse, não vejo problema em aliar medicina alopática (quando necessária) à medicina natural.

E bons momentos de amor!

2 comentários:

Mari Lee disse...

"A semente vem do homem"?? Como assim??
Não precisa de um óvulo também?
Precisa de *duas pessoas*, gente. Assumam a culpa ambos, homem e mulher.

Enfim... acho super importante fazer o diagrama, mas ele não é 100% confiável, não. Tanta gente engravida achando que está fora do "período fértil"...
E as DSTs, hein? Só com camisinha.

Dhanna disse...

Olá Mari!

Quero agradecer ao seu comentário, pois me fez refletir sobre minhas convicções.

Vamos por partes:

Mari:
"A semente vem do homem"?? Como assim??
Não precisa de um óvulo também?
Precisa de *duas pessoas*, gente. Assumam a culpa ambos, homem e mulher.

Dhanna:
Uma mulher sozinha não faz um filho, um homem sozinho também não.
Acontece que quando o ser humano tinha uma visão matrifocal, o poder de gerar era destinado EXCLUSIVAMENTE à mulher. Não se tinha o conhecimento da "semente" proveniente do homem e, bem como eu disse, hoje sabemos disso. Logo, ambos são geradores de vida, mas não defendo a culpa que vc diz, muito menos a que foi colocada pelo marido da minha amiga.

Não existe culpa, existe escolha.

Mari:
Enfim... acho super importante fazer o diagrama, mas ele não é 100% confiável, não. Tanta gente engravida achando que está fora do "período fértil"...

Dhanna:
Por experiência própria eu reafirmo que "É possível ter domínio sobre o próprio corpo através da auto-observação e o diagrama é uma ferramenta importante nesse processo."

Mas para isso é necessário fazê-lo por, pelo menos, seis ciclos, para entender todo o processo.

Mari:
E as DSTs, hein? Só com camisinha.

Dhanna:
Concordo com você nesse ponto.
Não é à toa que o número de mulheres casadas com DST aumentou.
Acontece que eu não conheço sequer um casal de amigos que após dois anos de relacionamento continuam a usar preservativo (alguns param bem antes disso).

É interessante que os casais que queiram seguir o processo do diagrama (é preciso que ambos tenham conhecimento do mesmo), conheçam os riscos, assim como os benefícios trazidos por essa prática.

E a única palavra que deixo como síntese do que eu disse é
AUTO-CONHECIMENTO.