sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Ervas de proteção e estudo sobre manjericão


Elas são muitas, mas cada erva tem uma forma muito particular de proteção.


Para utilizar alguma erva, primerio tem que saber qual é o tipo de proteção que deseja.

Estava sentindo necessidade de fortalecimento no campo espiritual, sem a necessidade de limpeza, que são coisas bem diferentes!

Meus devaneios sobre ervas:


A acácia é proteção, mas contra pesadelos, auxiliando no sono tranquilo, assim como o anis; pimenta protege contra mau olhado e uma receita de bruxaria indiana consiste em colocar numa corda 3 pimentas vermelhas, 1 limão e mais 3 pimentas, pendurar na janela e/ou na porta de entrada da casa (aqui em casa sempre faço); alho é proteção para a casa e também é limpeza, tanto física quanto espiritual, assim como o sal grosso (que não é erva, mas é ingrediente muito forte e eficaz); quanto à angélica, ela protege contra influências negativas (ideal para ser usado como talismã por bruxas e pessoas que lidem com magia!) enquanto que os druidas utilizavam o visco; a cebola protege e cura males físicos e por isso aqui em casa não falta, assim como o gengibre e o hortelã; louro e mirra é proteção e purificação; mandrágora protege o lar; sândalo purifica, protege e, ainda por cima, cura!


Depois de tanto pensar em que erva iria usar, numa conversa com a Dani Salles, a Bruxa Verde, veio a inspiração: manjericão!!!


Nem havia me passado pela cabeça... e aproveito para agradecer à Dani pela dica valiosa!


Comentei com meu marido, que foi ao mercado e se lembrou da conversa sobre a erva e comprou um molho bem generoso de manjericão!


Fiz banhos, pensurei galhos na janela e cozinhando muito: cozinhando com INTENÇÃO, que faz toda a diferença na cozinha.


O manjericão é muito usado nos templos indianos, sob o nome de tulasi, um dos vários tipos dessa erva.


Sua origem se deu na Índia (berço de muitas outras especiarias), sendo considerada sagrada.


Ela é consagrada ao Deus Krisna e Vishnu, onde é comum plantar em volta dos templos e tê-la em vasos, dentro e no altar.


Além dos Deuses, ela é consagrada à Deusa Tulasi (que provavelmente foi reduzida à planta, sendo seu culto quase exterminado, salvo no sul do país).


Existem muitas versões de seu mito, mas um que é amplamente conhecido é o seguinte:


Tulasi era uma mulher e foi seduzida por Vishnu, porém ela era casada.


Ela ficou tão desorientada que resolveu se matar!


Vishnu, naquele instante, a declarou como protetora das mulheres viúvas e sendo adorada pelas mulheres por sua fidelidade.


Assim, a planta tulasi tornou-se um símbolo de amor, purificação e proteção.


Numa pesquisa pela net, descobri que na Itália o manjericão era um sinal para o amor: a mulher colocava uns galhos da erva em cima de alguma mesa ( bem visível ) para dizer ao marido que o estava esperando ou quando queria arranjar um pretendente.


O manjericão doce era chamado "beije-me Nicholas" ou "bacia-nicola", usado para atrair maridos às esposas.


No folclore siciliano, o manjericão está associado ao amor e à morte.


Na Inglaterra, era usado para proteger contra maus espíritos e insetos.


O simbolismo do amor do manjericão não limitou-se à India.


Foi considerado um afrodisíaco, associado à "Deusa pagã do amor", Erzulie ( ou Erzulie Freda é um loa [Deus/Deusa] Haitiana, do panteão vudu. É a parte feminina de Papa Legba.)


O manjericão tem uma história antiga.


Provavelmente foi levado até a Europa por Alexandre, O Grande.


Cresceu em jardins medievais e é mencionado em herbários clássicos, incluindo os de Culpeper, Parkinson e Dioscorides.


O folclore do manjericão é tão complexo quanto seu sabor e aroma.


Em seus mitos incluem-se associações aos opostos: amor e ódio, perigo e proteção, vida e morte, de acordo com o povo de diversas tradições por onde foi disseminado seu uso e cultivo.

Fica a dica:


Banhos de manjericão para toda a família!

6 comentários:

Licsk disse...

Nossa adorei sua volta...em grande estilo...rsrsrs...vou arrumar uma mudinha de manjericão e tê-lo sempre por perto...
Bjos

Ariany (Dhanna) disse...

Resgatando escritos antigos, mas que é bom de lembrar, reler...

E espero atualizar a cada dia, masi esse espaço mágico!

Bjs

Pimenta disse...

Ariany,prazer, sou Pimenta(Ana),e adorei o post!
bjo

jefhcardoso disse...

Olá! Com licença; sou Jeferson, um homem comum que gosta de escrever. Quando tenho um tempo saio em visitas a blogs, seguindo sempre a seta que aparece no auto da pagina inicial (próximo blog>>). Posso afirmar que é uma experiência “deliciante”.
Quando encontro um blog bem legal como o seu eu posto um comentário e deixo o convite para que conheçam o http://jefhcardoso.blogspot.com . Pela proposta de seu blog creio que poderá encontrar algo em minha sessão em preto e branco, que data de novembro ou mesmo nas mais atuais.

Parabéns por seu blog e desculpe a intromissão.
Abraço: Jefhcardoso>>de blog em blog.

Alê lobo disse...

Olha só que coisa!
Não sei te dizer como vim parar aqui...a nossa versão moderna de Hermes me trouxe até aqui!
De blog em blog, de pesquisa em pesquisa (tava pesuisando sobre Pachamama, veja só!)...vim parar aqui!
E veja mais uma coisa: eu moro em uma casa e cultivo um jardim, onde a mudinha de manjericão cresceu e virou um enorme e majestoso arbusto cheiroso e cheio de flores...!...tenho que podá-lo com frequência maior que as outras plantas, para ele não roubar o Sol delas!
Aqui se usa pra tudo: pra cozinhar, tomar banho, defumar...até ás vezes só pra conversar, ele é um ótimo ouvinte das mazelas do coração, afinal, o manjericão é uma das ervas preferidas de Afrodite, veja só! quantas "coincidências"!!!
Te coloquei nos meus seguidores!
Amaaaaay seu blog! um enorme beijo!
Alê Lobo

Amina disse...

Oi Ariany. Gostei muito de seu blog. Relendo o artigo sobre manjericao, quero dizer, complementando sua pesquisa, que é a erva da Oxum - deusa do amor , segundo a tradição yorubá.

Bj